segunda-feira, 23 de novembro de 2009

23/11! ♥


postagem nº 100..
olha o mundo girando! HAHAI :x

terça-feira, 29 de setembro de 2009

não sei se o mundo é bão, mais ele está melhor quando você chegou e explicou o mundo pra mim. ♪

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

"se você me deixar, o mundo pode acabar
eu não vou mais acreditar em ninguém." ♪

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

"Sorte que tive em te encontrar num mundo tão-tão cheio de possibilidades e improbabilidades.Te achei. Ainda bem ... Agora estou mais tranqüilo. Te celebro dia após dia como se tivesse acabado de te encontrar."


te amo namorado.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

o melhor agosto dos últimos tempos.
Vínicius

terça-feira, 15 de setembro de 2009

”Sempre vai existir amor, ele só não será usado."



"A gente não percebe o amor
Que se perde aos poucos sem virar carinho.
Guardar lá dentro amor não impede,
Que ele empedre mesmo crendo-se infinito.
Tornar o amor real é expulsá-lo de você,
Pra que ele possa ser de alguém!

Somos se pudermos ser ainda
Fomos donos do que hoje não há mais.
Houve o que houve é o que escondem em vão,
Os pensamentos que preferem calar,
Se não, irá nos ferir um não -
Mas quem não quer dizer tchau."

(nando reis)



sexta-feira, 11 de setembro de 2009

é porque aquilo que nos cega, mostra um outro lado da moeda;
que não apaga as coisas do meu peito..
o preço é me fazer acreditar, sou tão perto de você.

(otm)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

04.09.2009


cauã, o novo morador desse mundo louco.
bem-vindo, bebê ♥

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

e agora que eu amo você, o mundo não precisa nunca mais girar.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

"E agora que eu amo você
O mundo não precisa nunca mais girar
Porque agora que eu amo você
Se eu amo
Você." (nando reis)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Você é tão errado e cheio de estragos. E me peguei olhando pra tudo isso e amando tanto, tanto, tanto. Como se nada mais no mundo fosse tão bonito ou correto ou mesmo perfeito porque perfeito é o que não tem mesmo cabimento.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

o que chamariam de loucura, eu chamaria de amor!



ps: ele é viciante *.*

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

E muitas vezes eu pareço ser tão duro..
Pra que as pessoas pensem que eu estou seguro! ( e eu estou)


* sexta feira tem show da marrom *o*

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

..tudo bem pra mim, você sabe o quanto eu te quis.

coloquei na cabeça, que você é passado!
"Dizem que sou louca
que o amor é cego,
que eu estou perdida,
que isso é um mistério.
Que eu já não me importo com minha própria sorte,
que acredito, te perdôo, sempre volto;
e que não mereço essas horas que me roubas."

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

mudanças.


Férias? só em janeiro! érr.. Acabou a moleza e vem aí o "maldito vestibular". Quanta pressão psicológica, ó céus! Fora isso, a loucura que fiz no visual: ficar morena. Na última sexta feira, me deu uma louca vontade de mudar.. começando pelo cabelo, que era uma marca muito forte. Onde aquele "loiro" chegava, todo mundo conhecia. Deixei pra trás, que sabe ele volte, mas daquele jeito, jamé. Quando eu estiver inspirada, volto pra contar coisas que andei pensando, bjs.


"portas e janelas todos os dias escancaradas, porque era para sempre verão..."

caio fernando abreu.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

A história é minha, conto pra quem eu quiser.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Se ainda souber como dizer sim, reconstrua seus pontos de vista.

sábado, 18 de julho de 2009

"Quem sabe o que é ter e perder alguém?"



"A morte não é nada. Eu somente passei para o outro lado do caminho. Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, eu coninuarei sendo. Me deem o nome que vocês sempre me deram (abôr ), falem comigo como sempre fizerão. Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas, eu estou vivendo no mundo do Criador. Não utilizem o tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos (quem vai querer a minha periquita? ♪). Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem enfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra. A vida significa tudo o que ela sempre significou, o fio não foi cortado. Porque eu estaria fora de seus pensamentos, agora que estou apenas fora de suas vistas? Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho. "


Tem hora que a voz falha, os olhos enchem de lagrimas e é inevitável não sentir sua falta.. 6 meses se passaram, e sua falta é notada em todos os corações, em todo lugar. Dezembro de 2008, a última vez que a gente se viu.. um show lotado, muitos corações cantando ao som de banda eva, e eu te encontrei; tava lá, e fazia tempo que a gente não se via, e a gente não podia se ver que era uma festa, ein? e como toda vez eu ganhei um abraço cheio de saudades e limitações :~ e eu evitei tanto te encontrar naquela noite, não imaginaria nunca que seria a última vez que eu ia te ver e te escultar dizer que eu sempre fui a sua preferida, e que meu abraço te acolhia muito. No fim, eu acabei viajando de féria pra casa de praia.. e em uma das ligações pra may, ela me contou do seu desaparecimento, e a primeira coisa que eu senti foi que você já não estava entre nós, e eu nuca descofiei da minha intuição, ela nunca falhou comigo.. dito e feito; Na volta pra recife, ninguém sabia ao certo, mas meu coração sentia.. eu tinha te perdido. Nunca mais ia ganhar teu abraço, nunca mais ia ouvir tuas gracinhas, tuas taras loucas.com, nunca mais ver você dançando brega, nunca mais, nunca... Meu Deus, como doeu tanto saber que eu tinha perdido mais uma pessoa que eu ama tanto, que eu admirava tanto (mesmo você fazendo tanta besteira) :~ e hoje sem mais nem menos eu resolvi te escrever, eu nunca quis mostrar minha dor pra "todo mundo", porque era minha essa dor, ninguém ia conseguir aliviar, ninguém.. Só Deus ia me confortar. Eu sei que tu está com ele agora, olhando por mim.. me guiando, me ouvindo, me protegendo.. eu sinto sua falta, mesmo separada de você por motivos maiores que a gente.. mais nada foi maior que nós. "eu te amo ABÔR (l) e obrigado por tudo ;*" eu também te amei, e te amarei muito, você foi e sempre será meu abôr. SEMPRE! :~

ainda vamos nos encontrar.

domingo, 12 de julho de 2009

- Isso aqui é seu, tinha comprado pra você. É seu!
- Não quero.
- Xiiu. Não se devolve presente.
- Eu não quero!
- Aceita! Nem que seja pra dizer: "Aceito. O que é que me custa aceitar? não tem importância, não gosto dele mesmo!" hãn. Então diz.. diz "eu não te amo", diz! E aceita.. depois você faz o que você quiser com isso. Derrete, manda fazer um pingente, sei la, atira para Iemanjá! Perde... mas, aceita. Em troca, eu só quero um beijo.
- Eu não posso!
- É a minha ultima cena, minha cena de despedida. Você me beija e eu vou embora e saio do seu filme pra sempre.
- Se eu beijar você agora, eu vou querer beijar muito mais, a vida inteira. Vou querer casar com você, pra beijar você toda noite.. até, até toda noite virar uma noite e outra, até uma noite outra virar de vez em quando.. até de vez em quando virar nunca mais. Até esse amor, que agora é tão grande, nem se lembre mais de como era no passado. Eu não posso! Eu não posso ficar com você. Eu não quero gastar esse amor... eu quero lembrar dele, assim, pra sempre. Do jeito que a gente ta sentindo ele agora.
- Nada vai mudar!
- Não depende da gente. É o tempo.
- Há! Que tempo é esse capaz de mandar no meu amor? Não existe esse! Ta para nascer esse espaço de tempo que vai me impedir de enxergar o que eu vejo, de desejar o que eu quero, de amar o que eu sinto. Esse tal desse tempo é Deus, fazer outro de mim. Deus de que tamanho? Vinte séculos? Dez milênios?
- Trinta anos.
- Quase nada... Eu espero, ta? Só pra provar pra você que amor como esse não se mede por fita métrica, muito menos por calendário!

(A dona da história)

sábado, 27 de junho de 2009

" Não, meu bem, não adianta bancar o distante: lá vem o amor nos dilacerar de novo..."
"Mas a verdade é que ainda não quero me prender a nada, a nenhum lugar, a ninguém"
"Na minha memória - tão congestionada - e no meu coração - tão cheio de marcas e poços - você ocupa um dos lugares mais bonitos"
Acesa, aceso - vasto, vivo: meu coração é teu.

e tudo..

E esse vazio que ninguém dá jeito? Você guarda no bolso, olha o céu, suspira, vai a um cinema, essas coisas. E tudo, e tudo, e tudo."

sexta-feira, 26 de junho de 2009

saudade.

"... e me dá uma saudade irracional de você."
A cada junho sei que não suportarei o próximo agosto =(
Ai, ai
Vai ver é só você
Ai, ai
Vai ver é só você querer
Distante, imaginar
Caberia a quem dizer:
"Amor, eu vivo tão sozinha de saudade"
”Não estou fazendo nada errado só estou tentando deixar as coisas um pouco mais bonitas”

E lá vai deus sem sequer saber de nós,
saibamos pois..
estamos sós!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

22 de junho de 2009 ♥ :~


"não para de chuver, eu preciso do sol pra lembrar seu calor.."


22 de junho, queria muito, muito e muuuuuuuuito voltar aquela noite! :$ e passou 1 ano, e tudo mudou.. imaginei tanto como seria nosso primeiro aniversário, de muitos. :/ passou e olha o que tocava no dia: "que outra pessoa, não servirá.. tem que ser você, sem porque, sem pra quê. TEM QUE SER VOCÊ, SEM SER NECESSARIO ENTENDER!" me acabei de chorar, né? mas também passou.. e como todo mundo sabe, eu ainda espero. jajá chega 14 de julho.. e vai passar também!



Sérgio Dourado

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Tantas pessoas passaram por ela, tanta coisa foi dita, tantas promessas que jamais foram cumpridas e ela fica pensando sozinha que, se ela já perdeu tanto tempo com sentimentos de papel, vale a pena - e muito - esperar por alguém que há tanto tempo faz parte da parte mais íntima da sua vida: o seu sonho de ser feliz.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Positivo: Liderança, Poder, Organização, Perseverança, Auto-confiança.
Negativo: Ganância, Autoritarismo, Teimosia, Impaciência, Intolerância.


eis, Camila Alves.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

"Eles brigavam o tempo todo.
Não concordavam em nada.
Mas tinham algo muito importante em comum...
eram loucos um pelo outro..."

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Eu era jovem, mas não era ingênuo. Eu assisti sem poder fazer nada enquanto você ia embora, e eu ainda tenho a dor que devo carregar um passado tão profundo que nem você não poderia enterrar se tentasse. Depois de todo este tempo eu nunca pensei que nós estaríamos aqui, nunca.. Quando meu amor por você era cego mas eu não consegui fazer você ver isto, não conseguia fazer você ver que eu te amei mais do que você jamais vai saber, e uma parte de mim morreu quando eu deixei você ir! Eu dormiria somente na esperança de sonhar que tudo seria como era antes, mas noites como essas parecem estar passando lentamente, elas desaparecem conforme a realidade vem à tona.

domingo, 17 de maio de 2009

Voltou, porque sempre o amou.


sei que "errei", estou aqui pra te pedir perdão. cabeça doida, coração na mão desejo pegando fogo. sem saber direito aonde ir e o que fazer, eu não encontro uma palavra para te dizer. mas se eu fosse você eu voltava pra mim de novo. e de uma coisa fique certa amor, a porta vai estar sempre aberta!


vai minha tristeza, e diz a ele que sem ele não pode ser. diz-lhe numa prece que ele regresse, porque eu não posso mais sofrer. chega de saudade..

eu não preciso de promessas e acho que você também, eu não tento ser perfeita e acho que você também, dias e noites pensando no que eu fiz, eu sou um vencedor eu lutei pelo o que eu quis. mas quando não se pode mais mudar tanta coisa errada? vamos viver nossos sonhos, temos tão pouco tempo.


eu sei me perdi. mas ei, só me acho em ti! eu me entrego, eu não nego: eu "errei', mas sou capaz de fazer sua vida melhor!

nem sempre à vida trás de volta o que o tempo separou do coração, vontade de recomeçar sem medo.. eu posso ganhar o mundo, mas hoje eu só quero o horizonte e você comigo!


digo que não ligo, mas não vivo sem você.


eu sei que na verdade eu não consigo entender o nosso amor, que o teu silêncio fala alto no meu peito e que nós dois estamos juntos na distância, tudo vai se acertar, assim e


u espero.


só te peço, por favor, se ainda existe o amor não me faça ter que te esperar, não vou agüentar.


e se você achar que ainda é tempo.. temos muito pra dizer! por trás das palavras, da raiva de tudo, sorri pra tentar chegar a você. enquanto eu sorrir ainda posso esquecer porque quem vai te abraçar? fala-me quem vai te socorrer quando chover e acabar a luz, pra quem você vai correr? e quem vai me levar entre as estrelas, quem vai fazer toda manhã me cobrir de luz? quem, além de você?


ninguém tem razão, tenta me entender. e a gente é maior que qualquer razão! deixa isso passar, e quando passar vou estar aqui te esperando, pra te receber e sorrir feliz dessa vez!


o nosso orgulho não vai dar em nada não. e a gente finge que não liga: brigas, ciúmes, é a vida. mas não desisto de querer! então comece desde já, pare de falar sobre o que aconteceu entre nós. então comece a fingir, ignore o fato de naquele dia eu não ter sido tua, ouça minha voz. e se você conseguir diga pra eu ir embora daqui, e eu vou fazer exatamente o que você mandar. e se você agüentar viver sozinho sabendo que eu quero te namorar tente viver. e se você não conseguir, e se você me demonstrar que está tudo errado..


quando esse dia enfim chegar eu vou correndo pra te encontrar.


i love you (L)




sábado, 9 de maio de 2009

Perdão, fugi na hora errada. Usei palavras mal ajustadas. Fiquei mal posicionada. Fui fria. Fui ácida. Fui indiferente. Quando era pra eu ter sido honesta, dei no pé legal. Sabe por quê? Deu medo. Tive medo de me envolver, de me apaixonar. Medo de te querer. Fiz tudo errado, do começo ao fim. Quando vi que estava pondo tudo a perder, pensei: vou mostrar tudo que eu quis esconder. Aí meti os pés pelas mãos. Vacilei, agi feito uma destrambelhada, me inventei, te reinventei. Queria que tu visses que o que eu sentia era verdadeiro e real. E te "mostrei" isso de uma forma totalmente fora de propósito.

Te tirei do sério. Mas te tirei do sério mesmo. Lembra o que tu me disseste uma vez? Que eu era assim: via algo numa vitrine, achava bonito e quando obtinha o "algo" simplesmente não dava bola e não queria mais. Acho que tens razão. Sabe quando te dei valor? Sabe quando me apaixonei? Sabe quando te quis de verdade? Quando perdi :x
Tu sabias exatamente quando eu estava precisando de um colo. De um ombro. Ao escutar a minha voz, sabia se eu estava bem ou não. Sabias a hora de falar e de calar. Conheci todos os teus tipos de olhares e sorrisos. Lembro de cada um deles. Conheci teus defeitos, tua mania de me provocar só pra me deixar irritada porque tu adoravas me ver braba. Planejávamos nosso futuro juntos. Imaginávamos como seria nossa filhinha (tricolor, gorda e de olhos claros) e nosso apartamento. Gostávamos de ficar jogando joguinhos bestas e ir ao cinema. Comer ouro branco e laka, era o meu preferido.

Contigo aprendi a não ter medo do futuro, a não me prender ao passado, a perdoar os erros dos outros. Aprendi a perdoar os teus erros. Os meus erros. Aprendi que não é coisa de criança ter medo do escuro e de trovões. Aprendi que não se deve viver numa redoma de vidro, temos que sair da toca. Aprendi que não adianta, não sei desenhar mesmo! Aprendi que precisamos valorizar, todos os dias, quem amamos. Falar. Dizer. Verbalizar. Expor. Escancarar. Dar a cara pra bater. Descobri que ser doce não significa ser grudenta. Ser gentil não significa ser um capacho. Ser sincera não significa ser cara-de-pau. A coisa mais importante que aprendi contigo foi o significado do sentimento mais puro e nobre que uma pessoa pode possuir por outra: o amor.

Eu preciso muito te agradecer. Mas não tenho como. Mesmo assim, obrigada. Jamais vou te esquecer, parte de mim vai te amar pra sempre. Sei que o nosso pra sempre nunca acaba. Lembra? Eu lembro de tudo. Desde o momento em que eu acordo até a hora em que vou dormir. Sinto saudades. Saudades do que fomos um dia. Fomos muito. Fomos muitos. Parte de mim, aquela que vai te amar pra sempre, é meu todo hoje. Não me imagino vivendo sem a gente.
Talvez ser triste atraia muito mais olhares - como foi atraído o meu - do que simplesmente optar pelo não ligar, pelo nada fazer, pelo mandar se foder, literalmente. Eu nunca fui uma pessoa do, literalmente, foda-se. Sempre muito preocupada com todas as coisas que viriam de todas as coisas, sempre querendo entender os porquês de todos os tudos. Sempre no plural, nunca compacta.

Mas os anos passaram por mim nada sóbrios e não foram macios os dias no meu rosto. Eu não tive tempo de cantar alguma música do Caetano enquanto acordava embaixo dos caracóis do cabelo de ninguém. Tudo pra mim sempre foi muito mais "olhos nos olhos" e "o que me importa". Tão Chico e Marisa, tão doído que dava dó. Uma coisa.

Só que aí eu acabei mudando. E foi mudança aos poucos, porque até hoje me dou conta de coisas minhas que já não estão mais lá e, quem roubou, eu jamais vou saber. O sorriso mudou e a vontade de sorrir pra qualquer pessoa também, graças a Deus. Foi por sorrir tanto de graça que eu paguei tão caro por todas as coisas que me aconteceram.

Às vezes me pego olhando ao meu redor e vendo tanta menina parecida comigo. Tanto sentimento gritando de bocas caladas e escorrendo de peles secas. Tanta coisa acontece com a gente. Tanta gente passa pela gente, mas tão pouca gente realmente fica. E eu sei que, talvez, eu tivesse que ficar triste. Talvez eu tivesse que continuar secando lágrimas, abraçando o vento e rindo no vácuo, mas o fato é que eu não consigo. Eu não consigo mais ser triste só para mostrar que um dia eu fui - ou achei que tivesse sido - feliz.

Aprendi com os meus próprios erros que sofrer não torna mais poético, chorar não deixa mais aliviado e implorar não traz ninguém de volta. Aprendi também que por mais que você queria muito alguém, ninguém vale tanto a pena a ponto de você deixar de se querer.

Eu que gritei para tantas pessoas ficarem, hoje só quero mesmo é que elas sumam de uma vez por todas. E em silêncio, que é pra ninguém ter porque se lamentar.


[Rani Ghazzaoui]

MY BIG MYSTAKE.

Decepção. Não consigo sair da mesma palavra. Olho no dicionário, Esta lá. [Do latim deceptione]. Desilusão, desengano, desapontamento. O Aurélio não mente. Definições não tem fim. Olho o verbo. Me conjugo. Quero dizer verdades que não saem da garganta. Engasgo. Assino a sentença: confiar pode machucar a acabar com sonhos bonitos.
Porque agora eu sei: Quando se trata de confiança, o que confia é sempre o culpado. Esse é o meu crime: eu confiei. Recebo, com merecimento o castigo prometido: uma caixa bonita com uma grande decepção dentro. Mas te peço: não sinta pena de mim. Sei ser dramatica quando me sinto traída. Ainda mais quando me lembro do óbvio: fui eu quem me traí. Por confiar em você. Não é esta a verdade? Minhas escolhas me fazem. Assim como nossos erros nos tornam quem somos. Vamos pensar positivo: por trás de grandes mulheres, existem sempre grandes erros. E você foi um grande erro.
MY BIG MYSTAKE.
Confiar em você foi minha escolha não foi?

Assumo a culpa. Engulo minha decepção. Revejo minha percepção. Mas é chegada a hora de pagar a fiança. peço a você - com todo respeito - que cale a sua boca! Não preciso me lembrar a todo instante o quanto sou ótima em fazer escolhas ruins
Mas vou melhorar. Vocês vão ver. Aprendi a ser boa quando fica má.


ps: Esse texto não é uma apologia a maldade. pelo contrário. Cresci com ensinamentos que ser boa é essencial (em todos os sentidos). Só que, às vezes, esqueço que preciso ser boa pra mim em primeiro lugar. Porque, senão, acabo fazendo maldades a mim mesma. E isso, segundo uma lei universal que eu não me recordo, é a pior coisa que podemos fazer.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Eu percebi que minha ansiedade é a típica da garota boba que leu nove livros, sabe de sete músicas, viu quatro filmes, conhece dois lugares e acha que ainda ama um homem. (Tati Bernardi)

terça-feira, 5 de maio de 2009

Te ter comigo, só isso me basta.
Porque ás vezes dá uma vontade de ligar e perguntar: "vai demorar muito pra você voltar? não aguento mais esses caras querendo ser você.. eles não sabem ser igual a você."


é safadeza do meu coração, eu sei, mas admitam, que mulher não sente uma saudadezinha do descarado do ex quando lê isso? ;$
Ele foi sem olhar para trás, ele se foi.

Pegou o que dele pertencia e se foi só que ele não conseguiu levar com ele tudo o que lhe pertencia, porque ela é parte de tudo que pertence a ele, ela ainda é dele, só que ela tem medo ainda de encarar todos os obstáculos e seguir a vida com ele.

Ela nada satisfeita mandou pra ele a mensagem que dizia assim: ‘ Quem sabe outro dia a gente possa se encontrar de novo’. E avisou ele que esperaria por ele o tempo que fosse preciso. Porque ela tem com ela a certeza de que é ele que ela ama e quer seguir vida.

Triste dar tchau quando a vontade é de falar fica comigo, é triste dizer adeus quando a vontade é de falar fica para sempre do meu lado.

É complicado para ela encarar a vida assim meio que sem ele, difícil aceitar toda essas complicações que acontecem na vida deles.

Ela ainda o ama, e ele ainda não se esqueceu dela, o que ele sente por ela nem ele consegue explicar, ele é tudo que ela sempre quis, e ela não vai desistir tão fácil, depois de tudo que ela já suportou esperar ainda a deixa com a esperança de tê-lo de volta em seus braços.

Enquanto isso ela vivendo a sua vida, brincando de ser feliz com essas paixões passageiras, porque amor mesmo é só ELE!

segunda-feira, 4 de maio de 2009




“- Que foi que eu lhe disse sobre a tensão dos opostos? – ele pergunta.
- Tensão dos opostos?
- A vida é uma série de puxões para a frente e para trás.
Queremos fazer uma coisa, mas somos forçados a fazer outra.
Algumas coisas nos machucam, apesar de sabermos que não deviam. Aceitamos certas coisas como inquestionáveis, mesmo sabendo que não devemos aceitar nada como absoluto.
Tensão de opostos, como o estiramento de uma tira de borracha.
A maioria de nós vive mais ou menos no meio.
- Parece luta-livre - pondero.
- Luta-livre - ele repete, e ri. - É. Pode-se definir a vida dessa forma.
- E que lado vence? – pergunto.
- Que lado vence?
Ele sorri para mim, os olhos enrugados, os dentes tortos.
- O amor vence. Sempre.”

quarta-feira, 29 de abril de 2009

"A verdade é que não dá para fugir da dor, e eu continuo correndo, correndo, correndo e não saindo do mesmo lugar."
Interrompida, caiu uma vírgula por aí, minha oração nunca será ouvida. Me perdi no meio dos sentidos.
História escrita a lápis, lápis-borracha para tudo ser mais prático. Escrita de qualquer jeito, torta, em linhas invisíveis. Com um início de perder o fôlego, mas com um eterno três pontinhos num final que nem existe.
Os três pontinhos são o que me matam, ponto final seria a dureza clara e o fim da história, três pontinhos são o que me matam.
Uma história pra adultos, escrita por crianças. Você sem saber viver de tantas vidas por aí, eu sem conseguir viver porque virei sua hospedeira.
(...)
Uma redação com margem, tamanho e estilo impostos para você. Um diário sem limites para mim.

E você continua indo embora, e eu continuo ficando, vendo você levar partes de mim que antes eu nem sentia falta.
E você continua escrevendo sua história pulando linhas, errando palavras, esquecendo os títulos. E eu continuo escrevendo seu nome com letras cheias, para tentar preencher você de alguma maneira. Pra tentar deixar tangível a sua existência. E principalmente pra poder amassar o papel e jogar no lixo.
Entre idas e vindas me resumo feliz. Entre altos e baixos me resumo equilibrada. Sendo assim, tá na cara e não tem pane: ando meio mal mas vou sair dessa.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Perdi meu telhado, mas recebi as mais incríveis e brilhantes estrelas.
Deixei meu céu aberto. Eu as esperava, sem saber. E finalmente elas chegaram!

sábado, 25 de abril de 2009

todo carnaval tem seu fim, é o fim.
los hermanos ♪

tati é foda!

Paixão é uma doença que se pega. Dá febre, dor no peito, taquicardia, insanidade. Se você tiver a sorte de sentir isso por alguém capaz de lhe dar as mãos pra atravessar a lama, você se cura e pode amar. Se ele for capaz de dormir ao seu lado enquanto você sente tudo doer e a fome que te abandona. Se ele puder sentir junto ou ao menos te deixar ver que é assim mesmo para os dois. O peso dissipa um pouco e vai mais rápido. Mas se você conhecer alguém que tenha, no fundo da alma, um prazer cruel em dizer que sua loucura é problema seu. Sinto muito. É o sopro que me diz. Sinto muito. O sopro me diz que deixar alguém apaixonado é uma crueldade bonita. O sopro me diz que não cuidar do doente é uma crueldade feia. O sopro me diz que ter medo do apaixonado é ter medo, sobretudo, que o apaixonado se cure. E eu digo que chega, já entendi tudo. Chega sopro, agora me deixe quieta aqui, esperando isso tudo sair do meu sangue e já saiu mais do que eu imaginava.
"Olha, o que eu sei é que eu não nasci assim, mas também não cheguei ao ápice da boa forma de um adulto. Eu sei aonde quero chegar, mas não sei como fazer para não deixar partes de mim pelo caminho. Eu sei o que eu quero e o que eu gosto, mas talvez eu ainda não tenha aprendido como conseguir, pedir, latir, gritar para ganhar. Eu só sei que eu quero. Quero agora, nesse segundo, com os olhos, boca, fígado e coração implorando. Sei das minhas histórias, do que eu vi, vivi, venci. Sei do que eu perdi. Perdi muito. Muito mesmo. Mas continuo em mim e com as pessoas que amo. Acredito em mim. Gosto de mim, acima de tudo. Estão vendo aquelas marquinhas na testa, nas costas, na barriga? Varicela. Catapora. Nenhum photoshop apaga minhas cicatrizes. As físicas sim, mas não as que o tempo fez. Amo e respeito meus tombos, e as marcas que me deixaram.
Eu pisquei os olhos e cresci. Quando me vi, já estava lá, sendo. Mal conduzida, indigesta, sem paciência com os outros e com o tempo que passa depressa demais. Não adianta, eu vou continuar dando uma banana para as eleições nos Estados Unidos, para os corações levianos, para quem acha que eu não posso achar nada por ser nova demais. Pra quem acha que maturidade, personalidade, jogo de cintura se avaliam pelo RG ou barba na cara. Com a minha idade, não estou mesmo preocupada em me descobrir, me definir, me escrever, eu quero é ser, só ser! Menina, mulher, assumindo meus defeitos, dando a cara aos tapas, errando, admitindo, pedindo desculpas, conversando, brincando, amando, mas o suficientemente eu, eu e eu, para me assumir, TRANSPARENTE, em todas minhas vertentes."

terça-feira, 21 de abril de 2009

tá passando

" Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso ás vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como 'estou contente outra vez' ".
(Caio Fernando de Abreu)

sexta-feira, 17 de abril de 2009

"Muito do que eu faço não penso, me lanço sem compromisso, vou no meu compasso. Danço, não canso, a ninguém cobiço.
Tudo que eu te peço, é por tudo que fiz e sei que mereço, posso e te confesso, você não sabe da missa um terço.
Tanto choro e pranto, a vida dando na cara nao ofereço a face, nem sorriso amarelo. Dentro do meu peito uma vontade bigorna, um desejo martelo."

PARA QUE?

" (...) mais rápido do que você veio até mim, você vai embora. Some, desaparece, surta, evapora...
E eu fico como? Quer saber? Eu fico aqui tentando achar algum defeito em mim que explique o porque de tudo isso. Porque você SEMPRE faz isso e a bonitinha aqui NUNCA aprende...
(...)Agora me diz... PARA QUE?
Caramba, será que esse é o seu passa-tempo favorito? Vai jogar bola com os amigos, ler um livro, viajar por ai... Mas pare de achar que sou um brinquedo. Algo que você brinca quando quer, faz o que quer, quando cansa joga de escanteio e quando sente falta, volta para brincar como antes.
(...) Mas fique sabendo: A partir de hoje decidi acabar com isso, pois cansei de ser fantoche nas mãos de quem não sabe valorizar o que obviamente tem! "
Nós não estamos fazendo nada. Minhas esperanças são tão altas que o seu beijo pode me matar. Então por que você não me mata, para que eu morra feliz? Meu coração é seu para completar ou explodir, para quebrar ou esconder, ou use-o como uma jóia, conforme você preferir.

mas não se apaixone por mim, por favor

posso fazer diferente com você
mas não se apaixone por mim, por favor.
posso te matar de paixão,
mas ainda não aprendi a amar (eu já amei :/)
posso fazer da sua vida um mar de rosas,
mas sei que não vou me entregar como você merece.
posso te pegar pela mão, te mostrar a felicidade de perto
mas serão só momentos, nossos momentos!
posso ser feliz junto à você,
mas deixo claro, minha felicidade não esta em suas mãos;
posso entrega-la um dia,
quem sabe um dia! mas esse dia não é o dia de hoje.

Zelador.


De Tati Bernardi.

No domingo veio o Gustavo. Esse eu confesso que não é o que se pode chamar de irmãozinho, ainda que a gente já tenha tomado muitos banhos juntos. Mas olha, seu Zé, que menino mais fofo: veio me trazer um presente. Uma luminária super bonita, dessas de chão. Você não acha que ele mereceu aquele beijo que eu dei nele no elevador? Eu sei que o senhor viu, sei bem. E sei também que o senhor viu que não foi bem um beijinho inocente. Mas ele não merece? Um presente bacana desses, veja só! O senhor entende,né?
Na terça tava um silêncio danado na rua, a maior paz. E eu sei que acordei o senhor. O senhor tava lá dormindo escondidinho na guarita, não tava? E eu no interfone desesperada pra subir logo. Mas o senhor logo entendeu meu desespero, não foi? Não vou enganar o senhor não, pra esse eu dei mais do que um beijo safado no elevador e uma mordiscada irmã no braço. Pra esse eu dei banho e fiz até torrada no café da manhã. O senhor viu como ele era bonito? Nossa. Ah, o senhor reparou também que ele é bem mais novo do que eu? Caramba, seu Zé, mas tá tão na cara assim? Só porque ele usa o moletom da faculdade? Aliás, que moletom mais cheiroso, seu Zé.
Que será que tá acontecendo comigo, heim? Ando muito a fim desses garotinhos que ligam pra avisar a mãe que não vão voltar. Será que é a crise dos 30, Zé? Ou será que já que o cérebro de um de 20 é o mesmo que o de um de 50, então pelo menos vamos ficar com o melhor desempenho na corrida dos 100 metros rasos? Essa vida viu, Zé. Pode ser boa que é uma coisa. Já chorei muito, já doeu muito esse coração. Mas agora tô, ó, tá vendo? De pedra. Uma tora. Um macho.
Na quarta eu não vi o senhor, mas será que o senhor me viu chegando cedinho, com o dia amanhecendo? Balada, Zé. E da boa. Sabe quem tava lá? Esse mesmo. Ele que veio me trazer, o senhor não viu? Ah, o senhor viu? Que vergonha. Eu tava meio caindo pelas beiradas não era? Era sono. Tá, um pouco disso e um pouco daquilo também, mas basicamente sono. O senhor não viu ele indo embora? Então somos dois. Mas vou confessar pro senhor: adoro quando eles vão embora sem me dar nenhum trabalho. Se eu cobro? Que é isso, seu Zé! Tá louco? Sou menina de família! Escritora, publicitária e a espera de um grande amor. Mas to me divertindo, ué. Não é isso que mandam a gente fazer? Quando a gente chora e escreve aquele monte de poesia profunda. Quando a gente se apaixona e tudo mais e enche o saco dos amigos com aquela melação toda. Não fica todo mundo dizendo pra gente parar de tanto drama e se divertir? Poxa, tô só obedecendo todo mundo. Não é isso que todo mundo acha super divertido? Beber e fumar, e beber, e fazer sexo sem amor, e beber e fumar e dançar e chegar tarde e envelhecer e não sentir nada? Sabe Zé, no começo doeu não sentir nada. Mas eu consegui. Eu não sinto nada. Nada. Uns vem, uns vão. As garrafas tão lá, ao lado do lixo. As cinzas saem dançando por aí. As minhas vão junto. No dia seguinte eu acordo, tomo um banho, passo protetor solar, sento na minha varanda com o meu jornalzinho e ó: nada. Nadinha. Nem pena do mundo eu consigo mais sentir. Minha pureza era linda, Zé, mas ninguém entendia ela, ninguém acolhia ela. Todo mundo só abusava dela. Agora ninguém mais abusa da minha alma pelo simples fato de que eu não tenho mais alma nenhuma. Já era, Zé. É isso que chamam de ser esperto? Nossa, então eu sou uma ninja. Bate aqui no meu peito, Zé? Sentiu o barulho de granito? Quebrou o braço, Zé? Desculpa. Mas hoje é quinta, hoje tem visita. Hoje tem risada alta, tem festinha, tem maquiagem e música. O senhor promete que não me julga, Zé? Eu sei que você se atrapalha, liga aqui pra cima e fica até mudo. São tantos nomes, não é? Mas é só fazer que nem eu: chama todo mundo de “o outro”. Todos são outros. Porque o de verdade, Zé, o de verdade não existe. A gente chora, escreve lá umas poesias profundas, chora, mas um dia a gente acorda e descobre que esse aí não existe não. Amanhã é sexta, um novo dia. Um novo outro qualquer. Eu queria te dizer que eu sinto muito, Zé. Mas eu não posso te dizer isso porque a verdade é que eu não sinto mais nada. Nadinha, Zé.

:x

Mas para não sentir dor eu vou jurar ao último ouvido do meu universo o quanto você é descartável. O quanto sua molecagem não permitiu nenhuma admiração de minha parte.
Para não sofrer não vou permitir minha cabeça no travesseiro antes do cansaço profundo e sem cérebro. Não vou permitir admirar coisas da natureza porque talvez eu me lembre de você ao ver algo bonito.
Não vou permitir silêncios porque é aí que o meu fundo transborda e a tristeza pode me tomar sem saída. Eu vou continuar deixando a minha cabeça me martelar porque toda essa confusão é ainda menos assustadora do que a calmaria da verdade.
A verdade é a frieza do mundo, é a podridão dos desejos, são as mentiras que a gente inventa para os outros e acaba acreditando. A verdade é que mais cedo ou mais tarde você será traído, porque todo mundo tem medo de viver a entrega. A verdade é que ninguém se entrega porque ninguém se tem. A verdade é que não estamos aqui, estamos em algum lugar seguro vivendo nossas vidas medíocres. A verdade é que todo esse perfume é vergonha de nossa essência, todas essas marcas são vergonha do nosso corpo, todo esse charme despretensioso é vergonha de nossas fraquezas. A verdade é que nada é inteiro porque até o inteiro para ser todo precisa ter seu lado vazio. A verdade é que não dá para fugir da dor, e eu continuo correndo, correndo, correndo e não saindo do mesmo lugar..

(tati B)

.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Peço licença ao meu ódio tão feio e tão infinito para te amar só mais uma vez.

vou te amar mais esta vez. Vou me enganar mais uma vez, fingindo que te amo às vezes, como se não te amasse sempre.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

fé!

Fé é acreditar sem qualquer desconfiança, ainda que na frente nenhuma luz exista, deixando a dúvida e a falta de esperança, para aqueles que andam apenas por vista. Fé é acreditar em Deus e nunca esquecer, a esperança dum futuro que um dia virá. Fé é a coragem de acreditar sem esmorecer, que tudo o que esperamos um dia acontecerá.

“Como não ter Deus? Com Deus existindo tudo dá esperança; sempre um milagre é possível, o mundo se resolve. Mas se não tem Deus, há-de a gente perdidos no vai-vem, e a vida é burra. É o aberto perigo das grandes e pequenas horas, não se podendo facilitar... Tendo Deus é menos grave se descuidar um pouquinho, pois no fim tudo dá certo. Mas, se não tem Deus, então a gente não tem licença de coisa nenhuma...” (Guimarães Rosa)

domingo, 12 de abril de 2009

"Pelo menos 1 milhão de vezes eu cai,
mas eu nunca desistirei."

sábado, 11 de abril de 2009

te amo, viu?

Cansei de morrer na vida das pessoas. Por isso matei você. Antes que eu morresse de amor. Matei você. Eu sei que sou covarde. Surpreso? Eu não. Desculpa, eu tinha prometido nunca mais escrever tão subjetivamente. Te amo, viu? Você renasceu de novo. Eu sei que sou louca. Louca e covarde!

sexta-feira, 10 de abril de 2009

:/

" Guia-me na tua verdade e ensina-me,
      pois tu és o Deus da minha salvação,
          em quem eu espero todo dia. "

..

Você já deveria conhecer meu tom seco e sarcástico e minha insuportável mania de falar a verdade sem me importar com o que os outros vão pensar. Sem me importar se vão continuar gostando de mim mesmo assim.
Eu nunca precisei fingir que sou uma pessoa boa. Nunca precisei fingir que eu não to nem aí quando eu to mais aí do que aqui. Não faz meu tipo. Me esforço às vezes pra ser romântica, pra acreditar nos planos, pra acreditar nas pessoas. Nunca chorei pra convencer. Talvez porque não faça questão de convencer. Ou, como você mesmo diz, sou direta, fria e seca. E nada disso é novidade pra ninguém. É só o meu jeito.
Eu não sou fácil, não me vendo, não aceito migalhas, não gosto de metades. Sou um império do bem e do mal. Sou erótica, sou neurótica. Sou boa, sou má. Sou biscoito de polvilho. Açúcar, sal, mousse de maracujá. Só não sou um brinquedinho. Que alguém joga no canto do quarto quando não quer mais brincar. Sou um pacote. Uma mala. Sou difícil de carregar.

eu sou sua :$

Isso não pode mais esperar, tenho certeza.
Não há necessidade de complicar, nosso tempo é curto este é nosso destino, eu sou sua :$

quarta-feira, 8 de abril de 2009

não dá prá esquecer!


Coração, diz prá mim, porque é que eu fico sempre desse jeito?

Eu queria dominar os sentimentos, mas não pude me conter, as coisas acontecem quando tem que acontecer. E a mágica do amor nasceu quando eu olhei você, meu mundo mudou, o tempo parou, você tomou conta do meu coração e foi tanto amor que meu sonho acordou de volta pra vida. E o tempo passou, você me deixou, parece que a vida não quer mais viver, porque a noite mais linda do mundo vivi com você.

Solidão, a gente acaba num abraço, não precisa nada mais. (...)
Você foi dessas coisas que não dá mais prá esquecer.
Eu acreditei tanto em você. E o maior motivo da minha crença não eram as nossas risadas, os nossos carinhos, as nossas tardes de conchinha, as nossas noites de gordinhos, os nossos programas de índio, as nossas viagens de improviso, os nossos segredos contados pelos olhos, as nossas descobertas, o nosso amor. Nada disso era o meu maior motivo. Nenhuma briga resolvida, nenhum ciúme infundado, nenhuma discussão com final feliz, nenhuma manha de menina mimada, nenhuma pessoa que tentou atravessar nosso caminho e não conseguiu. Não era isso que me dava certeza de você. Eu acreditava em você, porque você foi a primeira pessoa que me fez acreditar em mim.

Rani Baby

(L) :~

Acho que eu digo tantas bobagens porque sei mesmo que no final de tudo a gente não vai se perder. As minhas palavras são ásperas porque as minha emoções oscilam, mas é tudo só medo de te perder por algum motivo dessa vida e acabar tendo que me esconder nas minhas mentiras de novo pra, de novo, tentar encarar o sol sem ter você. É por isso que eu sempre seguro sua mão com força, é por isso que meu abraço às vezes te sufoca e que meu coração grita tão alto que te envergonha. A verdade é que eu tinha muitas teorias de liberdade e independência, mas é verdade também que eu, antes de tudo isso, nunca tinha entendido o que era mesmo o amor nessa vida.
[Rani Ghazzaoui]

segunda-feira, 6 de abril de 2009

E todo mundo diz que ele completa ela.


"Eram bonitos juntos, diziam as moças. Um doce de olhar. Sem terem exatamente consciência disso, quando juntos os dois aprumavam ainda mais o porte e, por assim dizer, quase cintilavam, o bonito de dentro de um estimulando o bonito de fora do outro, e vice-versa. Como se houvesse entre aqueles dois, uma estranha e secreta harmonia."
'Sou egoísta, impaciente e um pouco insegura. Cometo erros, sou um pouco fora do controle e, às vezes, difícil de lidar. Mas se você não sabe lidar com o meu pior então, com certeza, você não merece o meu melhor'.
-
Marilyn Monroe.

domingo, 5 de abril de 2009

certas coisas


Cada voz que canta o amor não diz, tudo o que quer dizer, tudo o que cala fala, mais alto ao coração. Silenciosamente eu te falo com paixão. Eu te amo calado, como quem ouve uma sinfonia, de silêncios e de luz. Nós somos medo e desejo, somos feitos de silêncio e som, tem certas coisas que eu não sei dizer..

sábado, 4 de abril de 2009

Qual é o teu segredo? Do que você tem medo?
Não sou nenhum brinquedo, que pode se quebrar!

Me dê algum motivo, por não estar contigo.
(...)

Que ama você como eu amei?
E que também vai te proteger
e te dar o que eu não te dei...

Eu fui aos céus com você e ao inferno também,
Depois de ir às nuvens, quase caímos no chão.

Amar é muito fácil, difícil é esquecer..
Que um dia todo amor, que tinha
dei pra você.

quinta-feira, 2 de abril de 2009


Não, não chega perto que eu enfraqueço, perco a razão. Eu tô inseguro, devendo a juros pro coração

Desaparece, me esquece, não volte atras. Eu não aguento uma gota a mais. E só abusa do meu coração, já é vantagem viver solidão. Por que me procura pra me enlouquecer? Se estou feliz volta a me aparecer. E ninguém merece o mal que me faz.. :/

QUEM DIRIA QUE HOJE, 02/04/09.. ia acontecer isso :O meu deus ;~

espero que o tempo voe, para que você retorne, pra que eu possa te abraçar e te beijar, de novo.

meu sorriso $:


Porque eu conheço esse sorriso, meio sem juízo. Uma vez esse sorriso me abriu o paraíso..

Mas olha nos meus olhos quando eu digo,
será que a gente pode ser amigo?

Mais como conviver sem ter engano?
Porque um amigo eu perdôo, mas você eu amo.
Pode até não parecer normal,
mais é um instinto natural.

te amo sérgio dourado (L) :/

quarta-feira, 1 de abril de 2009

vcprsmpr!

..pra só te ver ou ser pra você.

" Seus beijos são vermelhos, quase que me queimam. Que meigos são seus olhos. "

razões para viver.

Bem, tudo que ela quer e tudo que ela precisa são razões para viver.

terça-feira, 31 de março de 2009

Leve com você, só o que foi bom.
Ódio e rancor, não dão em nada,
nada.

Ouço aquele som, lembro de você,
como acabou.
Mas não tem nada não, só guardo
o que foi bom, no meu coração.
O amor é como o sol, sabe como renascer.

Sinto o calor, de mais um verão.
Tudo ganhar cor e de nada vai valer
lamentar a dor.
Nós temos que seguir em frente,
a vida não parou.
Vai ser difícil esquecer tudo o que passou,
mas são as quedas que ensinam a cultivar
o nosso amor.

(natiruts)

segunda-feira, 30 de março de 2009

falando sério..

" falando sério, é bem melhor você parar com essas coisas.. de olhar pra mim com olhos de promessas, depois sorrir como quem nada quer. você nem sabe, mas eu tenho cicatrizes que a vida fez, e tenho medo de fazer planos, e tentar e sofrer outra vez! " (...)

quase amor,

Um físico desafiou:
"Como que o sentimento pode o tempo atravessar"

Um cínico dissimulou:

"Isso vai passar..."

(pedro mariano)

sábado, 28 de março de 2009

coisas fáceis!

sabe qual é o meu problema?
eu odeio coisas fáceis! :@

meus dramas, mexicanos :)


"Exagerada toda a vida: minhas paixões são ardentes; minhas dores de cotovelo, de querer morrer; louca do tipo desvairada; briguenta de tô de mal pra sempre; durmo treze horas seguidas; meus amigos são semi-irmãos; meus amores são sempre eternos e meus dramas, mexicanos."
[Clarice Lispector]

quinta-feira, 26 de março de 2009

Como a Tati já escreveu: "Meu número não era pequeno, mas meu coração também não!". O meu coração não era e nem é pequeno. A minha alma, o meu espírito, os meus sonhos, as minhas emoções, os meus desejos, os meus valores também não. Hoje não há nada do que me envergonhar, hoje não a nada o que esconder, hoje não há nada o que temer. O que passou, tá passado, então, eu pego a minha roupa novinha, cheirosinha e principalmente lisinha, para voltar a ser o que deixei de ser a algum tempo: eu. Alguns eu nem lembro o nome, outros eu demorei muito tempo para esquecer e talvez não tenha esquecido de verdade até hoje. Alguns levaram de mim apenas um dia, uma tarde ou uma noite, enquanto outros levaram milhares de minha noites banhadas em lágrimas. Alguns eu quis que sumissem após o primeiro beijo, outros sumiram antes que eu pudesse pegar nojinho deles. Alguns fizeram com que eu me arrependesse por muito tempo e outros fizeram com que eu pulasse de alegria durante mais tempo ainda. Alguns foram menos do que eu esperava mas tiveram outros que barraram todas as minhas espectativas. Alguns, assumo, foram apenas números na lista de uma menina ingênua e deslumbrada, enquanto outros foram marcas que até hoje existem no coração da mesma menina. Alguns me amaram o quanto puderam mas não puderam fazer com que eu sentisse o mesmo, mas eu compensação, eu também já amei o quanto pude e não pude fazer com que sentissem o mesmo por mim. Alguns me deixaram apaixonada no primeiro minuto pelos olhos, pelo cabelo, pelo rosto lindo ou pelo corpo perfeito mas me fizeram voltar atrás após a primeira palavra trocada, enquanto outros eu relutei em me aproximar pela beleza física desvavorável e me amarraram por um charme sem igual. Muitos deles significaram a mesma coisa pra mim: nada! Mas alguns poucos significaram tudo por bastante tempo. Hoje não esitarei em falar dos meus, ou quase meus, hoje estou sacudindo a poeira e guardando dentro de uma caixa colorida todas essas histórias, ou pedaços delas, uma a uma, sem me lamentar por tantas lembranças desbotadas. Porque nada se encaixa? Será que foi porque eu nunca me comportei como uma "prost" e as vezes que eu errei, as vezes que eu magoei, foi por, juro, inocência? Problema deles se foi, não nasci para comer capim, assim como não nasci para venerar o chão que eles pisam. Fecho a tapa colorida da caixa igualmente colorida que abriga tantas histórias em preto em branco. Acabo de guardar todas as lágrimas, dias tristes, desesperos, humilhações, arrependimentos e todo o resto que faz mal a mim. Deixo apenas os sorrisos, lembranças que não soem como perigo de uma recaída, momentos coloridos, assim como a caixa. A música está acabando mas o meu tempo de ser feliz, de ser minha está apenas começando. Sem essa ânsia de viver um grande amor, pois todas as vezes que a tive, eu nunca o tive, sem esse coração cheio de mágoas, sem sensação de alma pesada, sigo minha estrada sozinha, assim como comecei. Um dia quem sabe, eu encontre uns dois, ou três que valeram a pena de novo? Pois é, quem vai saber.


Por favor, Deus, quando eu estiver me sentindo demais e vier alguém me lembrar que eu não sou merda nenhuma, pelo menos mande um sinal, sei lá. Um aviso como nas novelas: "é a última semana", se me permitem a intertextualidade..

Vejo a minha frente, em quase todos os homens, a possibilidade de algo bom, mas não mais vejo em um apenas a possibilidade de algo eterno. Tornei-me gelada para o "para sempre", mas estou em ebulição para o agora. Tento ser neutra, tento ser imparcial com meus sentimentos. Não esperava te conhecer, mas conheci. Não esperava manter contato, mas mantive. Por isso, segue a lógica: espero que você seja apenas mais um que sumiu, entre tantos, mas você não é.